, , , , ,

Conheça as doenças que podemos te sabotar no verão

Conheça as doenças que podemos te sabotar no verão todos sabemos que com o verão chegando so pensamos em festa, ferias e praia, só que temos também que pensar na nossa saúde. A Desidratação Trata-se da perda excessiva de líquidos e sais minerais do corpo. Normalmente, perdemos cerca de 2,5 litros de água por dia, através de suor, saliva, urina e fezes. Configura quadro de desidratação quando a perda diária ultrapassa esta média, geralmente ocasionada por fatores relacionados ao verão, como transpiração excessiva ou vômitos e diarreia por ingestão de alimentos mal conservados.

Conheça o que pode te sabotar no verão
Conheça as doenças que podemos te sabotar no verão.
Conheça as doenças que podemos te sabotar no verão todos sabemos que com o verão chegando so pensamos em festa, ferias e praia, só que temos também que pensar na nossa saúde. A Desidratação Trata-se da perda excessiva de líquidos e sais minerais do corpo. Normalmente, perdemos cerca de 2,5 litros de água por dia, através de suor, saliva, urina e fezes. Configura quadro de desidratação quando a perda diária ultrapassa esta média, geralmente ocasionada por fatores relacionados ao verão, como transpiração excessiva ou vômitos e diarreia por ingestão de alimentos mal conservados.

Veja dicas para não ser sabotado(a) no verão

Quando desidratado, o indivíduo sente sede, fica com a boca, as mucosas e os olhos ressecados, passa longos períodos sem urinar e sofre aumento da irritabilidade. Para evitar a desidratação, as principais recomendações envolvem ingestão constante de líquidos frescos, consumo de alimentos leves e igualmente frescos, uso de roupas leves e permanência em ambientes arejados e com sombra.

Conjuntivite Trata-se da inflamação da Conjuntiva, a fina membrana que reveste o globo ocular, que pode ser desencadeada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus. No verão, a conjuntivite mais comum é a bacteriana, porque as bactérias causadoras se propagam na água e contaminam os olhos durante os mergulhos no mar ou na piscina.

Os desconfortos da conjuntivite são característicos, como inchaço, ardência, vermelhidão, coceira, fotofobia e presença de secreção, com incômodo ainda maior em dias de alta temperatura. Para manter a saúde ocular, é importante não compartilhar objetos (toalhas, colírios, lentes de contato ou roupas de cama) de terceiros, abolir o hábito de coçar os olhos com as mãos e lavar as mãos e o rosto com a maior frequência possível.

Candidíase vaginal A candidíase é causada pelo desequilíbrio do fungo Candida sp nos genitais femininos. Eles estão naturalmente presentes na flora vaginal mas, quando encontram condições favoráveis - leia-se: umidade, calor e baixa resistência - se reproduzem excessivamente e a doença se instala. Ardor ao urinar, corrimento esbranquiçado (parecendo nata de leite) e coceira são sinais de alerta. Converse com o seu ginecologista. Previna-se: vale a regra: saiu da praia? Tire o biquíni assim que puder.

O tratamento da candidíase é simples - geralmente, uma combinação de antifúngicos dá cabo da história. Mas é o seu médico que vai receitá-la + Tire suas dúvidas sobre corrimento vaginal Conjuntivite bacteriana Supercomum no verão, a conjuntivite infecciona a conjuntiva dos olhos (membrana que reveste a parte frontal dos olhos e o interior das pálpebras). São sintomas: secreção amarelada, vermelhidão, coceira, dor ao olhar pra luz e aquela sensação horrível de areia nos olhos. Previna-se: não mergulhe em locais impróprios para o banho. O contágio é frequente em piscinas sem tratamento e água poluída.

Não compartilhe toalhas, travesseiros ou maquiagem com pessoas contaminadas. E lave as mãos sempre. O tratamento é feito com colírios específicos, indicados por um oftalmologista. + O certo e o errado na hora de lavar seus pincéis de maquiagem Dengue No rol das doenças de verão, a dengue é motivo de políticas públicas de saúde há anos. Os indícios da picada do Aedes aegypti envolvem febre alta, náuseas, dores de cabeça, nos músculos e articulações, perda de apetite e manchinhas vermelhas pelo corpo. A forma hemorrágica da doença é ainda mais perigosa.

Previna-se: a única maneira de evitar a dengue é não deixar o mosquito nascer. Para isso, é importante acabar com os criadouros e não deixar água parada em qualquer tipo de recipiente. Otite externa É uma inflamação dos ouvidos, geralmente provocada pelo uso incorreto de objetos introduzidos no local (como cotonetes, por exemplo). O motivo pelo qual a otite se encaixa nas doenças de verão é que a infecção é facilitada pela entrada de água no local (bastante comum em mergulhos no mar e em piscinas), que aumenta a proliferação de germes.

Os sintomas da otite incluem dor, sensação de ouvido “cheio”, calor no local e secreção. Previna-se: contenha a vontade de passar cotonete nos ouvidos (a parte externa da orelha está liberada). Intoxicação alimentar No verão, geralmente, fazemos mais refeições fora de casa. É aí que mora o perigo da intoxicação alimentar.

As altas temperaturas prejudicam a conservação dos alimentos, que podem contaminar quem os consome. Os sintomas da Intoxicação alimentar variam de acordo com o microorganismo que causou o distúrbio. Os mais comuns são náuseas, vômito, diarreia, sensação de febre, dor de cabeça e desidratação.

Top Ad 728x90